De olhos fechados

Em cima da passadeira, ao olhar para o meu reflexo, no espelho à minha frente, decidi fazer um teste. Aumentei o ritmo da máquina, senti os meus pés a adaptarem-se a um passo mais acelerado, larguei as mãos e fechei os olhos. Que sensação! Eu só pensava "eu vou cair", "assim não me consigo equilibrar", "ai, eu vou cair"... As minhas mãos queriam a toda a força agarrar-se a algo, só queria abrir os olhos! Mas deixei-me caminhar assim, mesmo com medo, forcei-me a aguentar aquelas condições. Passado algum tempo tive que abrir os olhos, tal era a sensação de desequilíbrio, tal era o medo de cair.
Olhei novamente para o espelho e percebi que é um pouco assim que tenho caminhado, como se estivesse de olhos fechados, sem ver onde ponho o pé, sem ver bem por onde vou, quanto é que já andei. De olhos fechados, quase sem apoio, procurando, sozinha, o equilíbrio a todo o custo. Sem uma voz que me diga "não tenhas medo, tem calma, estás a ir bem, é esse o caminho, não desistas"... Sem uma mão que aperte a minha, que me puxe para a frente, que me faça sentir que não estou a caminhar sozinha. E assim, assim é mesmo muito complicado caminhar! Porque de olhos fechados, sem ver onde se pisa, é difícil não estar constantemente a pensar que se vai cair. Até porque às cegas, às escuras, é muito provável que se caia mesmo! E não faltam motivos para cair no caminho. Basta tropeçar nos próprios pés.

3 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Joana disse...

Percebo muito bem a situação que descreves pois já passei por ela.
Custa caminhar sozinha, sem apoio. Mas nesta fase é essencial que assim seja, pois o caminho ao nosso interior só nós o podemos fazer e se reparares bem não estás sozinha. Estás com o teu interior, a tua alma, a tua essência. É difícil, mas a transformação que daí resulta é magnífica.
Acredita e confia em ti. Isso é a base deste caminho.

Beijinhos e abraços repletos de força, pois eu confio e acredito em ti! ;)

Janine Bettencourt disse...

O percurso que fazemos sozinhos, sem contar com opiniões, pressões, conselhos torna-nos mais determinados, independentes... E quando caimos, levantamo-nos, sacudimos a roupa, olhamos à volta para verificar se alguém viu... ou ficamos no chão sentados a rir até ganharmos coragem de seguir em frente.
O caminho é sinuoso, mas chegamos lá, sempre chegamos :)
Beijo

Pérola Negra disse...

Joana: Grata, mesmo grata por todas as tuas palavras de apoio, de ensinamento. Beijo grande

Janine: Obrigada por esse comentário tão cheio de força! Beijinhos