Formas de ver

É difícil acreditar no que não se vê, não é?
Eu acho que é... Mas também acho que em muitas situações da nossa vida devemos mesmo acreditar no que não é visível aos nossos olhos, mas que conseguimos ver de outra forma. Não somos apenas olhos. Somos mãos, somos boca, somos coração, somos cabeça, somos seres dotados de muitas formas de sentir, de entender, muitas formas de ver.
Quantas vezes fomos atraiçoados pelo que julgávamos ver nitidamente? Quantas vezes o que vimos não era bem o que parecia? Há muitas coisas que andam no ar e facilmente nos turvam os olhos. Quantas vezes não conseguimos ver por não estarmos preparados para ver? Quantas vezes não queremos ver?
É fácil falar, é fácil (e bonito!) dizer que devemos acreditar no que por vezes não vemos... Mas, claro, é mesmo difícil acreditar no que não se vê! Pois é.
Há uma frase, daquelas que se mandam pelo telemóvel aos amigos, mensagens já feitas, que, apesar de ser lamechas, melosa (o que quiserem chamar) é uma boa imagem do que quero dizer... "Os amigos (eu acrescento aqui a palavra alguns!!) são como as estrelas, nem sempre os vemos mas sabemos que estão sempre lá". Lembro-me de a receber quando era ainda uma adolescente e de gravá-la na minha memória, por definir bem o meu sentido de amizade.
Hoje sei que essa filosofia não se aplica apenas à amizade, mas a todos os tipos de sentimentos que quisermos.
Eu tento sempre dar o meu melhor nas relações com as pessoas, acho que devemos sempre ser o melhor que pudermos e soubermos... A outra pessoa assim o merece! Ser a melhor amiga. A melhor colega de trabalho. A melhor namorada. A melhor filha. A melhor irmã. A melhor esposa. De uma forma verdadeira, claro. Se tentarmos ser sempre o melhor, será mais fácil, para as outras pessoas, acreditar nos nossos sentimentos, mesmo quando, não os consigam ver a olho nu. Mesmo assim é frequente duvidar dos sentimentos, nos momentos mais difíceis, quando não há sinais, quando há muito medo.
Quem duvidar dos meus sentimentos, quem, num momento, não for capaz de acreditar no que não vê, que me feche num quarto sem luz... Verá, com os seus próprios olhos, o meu coração, como uma estrela, a brilhar no escuro!

2 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Poetic GIRL disse...

Que coisa mais linda de se ler! beijoca

Mas não é preciso fechar-te num quarto escuro para sabermos quanto brilha o teu coração! bjs

Joana disse...

Adorei o teu texto! :)

Beijinhos