Pelo caminho

Muitas vezes questino-me sobre os caminhos que sigo, sobre o destino das minhas viagens. Pergunto-me: por onde tenho andado, onde vou, onde vamos afinal? Mas há momentos em que deixo de pensar no destino e penso apenas na viagem. Há dias em que é importante sentir bem o próprio caminho. Sentir bem cada ponte. Sentir bem cada buraco da estrada. Sentir bem cada curva.Sentir bem o caminho dentro de nós. Ontem foi um desses dias. Parei no caminho e deixei-me sentir...

3 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Joana disse...

O mais importante quando seguimos num caminho é senti-lo, pois só assim sabemos se é para nós ou não. O destino final esse é bastante secundário, até porque a meio do caminho podemos sentir que não é mais para seguir por ali. ;)

Beijinhos e boas pegadas

Alexandre disse...

Nem imaginas o quanto te entendo... mas ultimamente dou por mim mais a pensar nos destinos do que a aproveitar as viagens... preciso de ir a casa, nem que seja só por uns dias...

M. disse...

Talvez o mais importante seja mesmo o sítio, o sentimento, o espalmar do rabo nas pedras de descanso... Talvez seja o mais importante a chuva miudinha, que não molha mas que fica, que realmente nos faça viver... talvez sejam as pedras da linha que os nossos pés tentam moldar, como que mostrando que os caminhos irregulares são, por vezes, os mais felizes, talvez sejam as pontes, que já nem a visita do comboio recebem, as vistas mais bonitas da memória, talvez sejam os minutos desgraçados aqueles que dão significado à vida...