O pouco depois do muito

A minha mãe sempre disse que me devia habituar a viver com pouco. Costumava falar-me de dinheiro... Que devia ter regras, que devia ser modesta, que devia organizar-me. Porque é muito bom ter muito, poder fazer uma vida confortável e despreocupada, mas que nem sempre a vida é dessa forma. Dizia-me que se estivermos habituados a viver com pouco podemos aprender, facilmente, a viver com muito; mas se estivermos habituados a viver com muito é mais complicado depois viver com pouco.
Acho que isso vale não apenas para o dinheiro, mas para tudo na vida. Hoje sinto tanto isso na pele... É difícil contentar-me com o pouco depois de ter tido o muito.
É complicado depois de ter andado nas alturas, estar mais perto do chão. É difícil saber viver com menos do que já se teve...
E como é triste sentir isso! É triste quando nos apercebemos que querermos ser algo que na realidade já não somos... É triste perceber que já nem se tem tanto, nem se é tanto...
É triste e difícil de aceitar.

5 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Poetic GIRL disse...

Como te compreendo! beijocas e aquele abraço

Joana disse...

"É triste quando nos apercebemos que querermos ser algo que na realidade já não somos..."
Não acho que seja triste. Acho que é difícil aceitar a nova realidade, o nosso "novo" Ser. Pois estávamos habituados a pensar que eramos de outra maneira. Mas, acredita em mim que já passei/estou a passar por isso, descobrirmo-nos é fantástico. Há coisas que não imaginávamos que fossem possíveis e perceber que o são é muito bom para a nossa auto-estima. Confia em ti.

Beijinhos

M. disse...

Mas o ensinamento não é à toa que é o dinheiro.
Tudo o resto se compõe...

Pérola Negra disse...

Bela: É bom quando escrevemos e nos compreendem! Beijinhos

Joana: Minha querida, o "querer ser o que na realidade já não somos" não era enquanto pessoa que sou. Era em relação a algo específico. Enquanto pessoa sou e serei sempre a mesma. Vou evoluindo, vou-me conhecendo melhor, mas sou sempre eu. Com todas as virtudes e defeitos. E gosto de mim como sou. Aí não quero ser algo que não sou! ;) Beijinhos

M: Engraçado eu acho exactamente o contrário. Com o dinheiro haverá sempre uma forma de resolver... Ainda que seja difícil! Mas noutras questões da vida, acho mesmo muito mais complicado!!!
Beijinhos

M. disse...

Pérola, eu espero que sim! Que tenhas razão... Mas assim como não fazemos reset cada vez que a vida não nos agrada, também não é possível fazer reset aos saldos cada vez que nos são desfavoráveis...
O ensinamento da tua mãe é certo! E essa, garanto-te, é a única certeza!