Sensibilidade

O meu pai é um homem com muita sensibilidade. A vários níveis.
O cuidado, o amor e a forma sensível com que trata as mulheres da sua vida é que me espanta sempre! Repara no corte de cabelo novo, na roupa nova, no arranjo esmerado para um jantar ou uma saida à noite. Se estamos naqueles dias em que nos sentimos horríveis ele percebe e diz que estamos lindas. Se estamos deprimidas ele levanta-nos o astral, aproxima-se para uma conversa, faz-nos rir. Faz muitos elogios. Incentiva muito, dá muita força. É muito carinhoso. Vem à porta, a correr, abraçar-nos quando chegamos a casa.
Isto é apenas uma gota de água no homem sensível que é...
Ele tem tanta sensibilidade que algumas vezes, quando não estou bem, fujo dos olhos dele, para que não me leia, não perceba como me sinto, para que não perceba que tenho um problema, que não estou bem, que estou com medo. Mas ele parece saber sempre quando tem que falar.
Ontem:
Pai - "Sempre foste passar a tarde naquele sítio onde querias ir?"
Eu - "Oh, Acabei por não ir. Podiam achar que era chato, tive medo de ir incomodar..."
Pai - "Pérola, tu és uma flor!! Onde quer que estejas transformas logo tudo num jardim!"
Olhei para ele sentado no sofá a sorrir para mim. Em silêncio devolvi-lhe o sorriso.

1 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Joana disse...

Lindo a vossa cumplicidade.

Beijinhos