M.


Era suposto eu ficar contente?
Já repeti esta pergunta pra mim própria umas quantas vezes. Se era suposto, pois bem, devo ser mesmo estranha... não sinto nenhum contentamento nem sequer uma ponta de felicidade.
Nunca tive como objectivo ganhar alguma coisa. O único desejo era não perder nada...
Não sinto mais culpa hoje do que sentia antes. Aprendi a viver com ela, porque aprendi também que o que é certo e é errado é muito relativo. Há coisas nas quais não mandamos. Há coisas que não conseguimos controlar... e se conseguíssemos, então poderia ser muito pior!
Também não sinto menos do que sentia antes. Sinto igual. E o igual é muito. É muito... E esse muito permite-me muitas coisas daqui pra frente, tal como permitiu daqui pra trás.
Sei ser paciente quando os momentos assim o exigem. Sei falar quando precisam ouvir. Sei esticar tempo e espaço. Sei ouvir quando alguém precisar de falar. Sei esconder-me quando for preciso ausência, sei aparecer quando me querem ver. Sei ficar em silêncio quando tudo o que menos precisam é de perguntas. Sei compreender quando se acham complicados. Sei ficar quando todos os outros desaparecem. Sei gostar quando precisam que se goste...
O bom dos dias é que quer pareçam curtos ou longos, são sempre dias. Nada se perde. É sempre um caminho para um sítio qualquer. Podemos achar que estamos parados, mas na verdade estamos sempre em movimento, estamos sempre a avançar, o tempo empurra-nos para a frente. Não se sabe o que estará no amanhã. Se eu soubesse, se conseguisse antever o futuro, certamente teria agido de outra maneira desde o início. E não teria sido desta forma, não teria sido assim tão bom! Por isso, é bom não saber o que virá. Prefiro acreditar que tudo vai correr bem. Eu sei que vai! De uma maneira ou de outra, vai correr bem. Porque as vidas, sós, ou acompanhadas, são como os corpos, são como os corações, adaptam-se.
De nada vale cair e ficar no chão... Porque até as árvores, mesmo as diferentes, morrem de pé!!

4 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Poetic GIRL disse...

Ás vezes é mesmo uma questão de adaptação e de nos rendermos ás evidências... bjs

m.a.r.o. disse...

Nunca ficamos contentes quando as noticias que nos chegam são más para as pessoas que gostamos...
Depois da tempestade vem a bonança... e depois da bonança virá sempre outra tempestade...
Magnifico este teu texto..

Anónimo disse...

Adorei o texto...

MD

Pérola Negra disse...

Poetic GIRL: Sim às vezes é isso, mas outras vezes é mais do que isso... Quando são vidas que estão é jogo é bem complicado. E é bom quando as pessoas conseguem respeitar os outros. O mais importante é procurar aquele equilibrio que nos faz sentir bem.

m.a.r.o: As notícias más nunca são agradáveis. E eu não gosto nada de ver quem mais gosto triste ou a sofrer. Sofro também...
Tempestades não têm faltado! Venha de lá a bonança! E que seja pra ficar! Isso sim é que seria magnífico!

MD: Obrigada por teres lido, por teres gostado e por teres deixado o teu comentário. É nestas alturas que ganhamos força pra continuar a escrever.