De partida


Como custa ver-te ir embora...
Como custa ver o teu sofrimento por não poder ficar. Doi-me a dobrar! Se pudesse ia eu em tua vez, só para não ver a tristeza nos teus olhos. Só para não ver a dor com que me agarras. Para não ver como te custa abraçar-me quando estás de partida.
Custa-me tanto ver-te ir e deixar tudo para trás.
Se pudesse ia eu...
Custa-me ver-te partir sem dia e hora para voltar.
Custa-me não ter força para te agarrar mais, com mais força... e não te deixar ir.

1 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Velho Anónimo disse...

Pérola... são estranhas as estradas por onde o destino nos conduz a vida... não há emoção do regresso sem a emoção da partida, não há o prazer de um beijo na chegada, sem a dor e as lágrimas da despedida... são bons assim os sentimentos que no nosso peito se entrelaçam, tentando puxar-nos ora para um lado ora para o outro... pior é quando ficamos no meio deles, erectos, rigidos, quando não sentimos nada, quando um beijo não se sente e o choro não se justifica... isso sim é mau!
Pelo menos podes olhar para dentro de ti, e enquanto observas os teus sorrisos e os teus prantos, sentir que estás viva... e que bom é estares viva por dentro!