Questionar em Surdina

-Estás muito calada, hoje!
Que fazes? Estas a contemplar a chuva a cair? O que escreves no vidro embaciado pelo calor dos teus pensamentos?
O vidro apagado que segura a tua testa encostada, sussurra um segredo ausente nos teus olhos. Segredo que te mantém consciente. Olhos rasos de vácuos e silêncios.
-Porque choras?
As tuas lágrimas confundem-se com o som da chuva que desce pela tua alma. Estão tristes. Porquê? Quem te apetece?
Finges muito bem que a realidade te ignora em surdina, sentes-te como um acessório que a vida usa aos domingos.
-É uma chuva que vem de dentro e transborda numa irresolução contida. É Ver toda uma vida que não foi, mas que nunca será... para sempre.
-Não faz mal. Lembrar torna-te mais forte. Não te julgo.
Fecha os olhos. Respira fundo. Tudo vai estar bem.

P.S: "Se eu soubesse que morrendo chorarias por mim, por uma lágrima tua com alegria me deixaria matar..."



Bibendum

2 Vizinho(s) mais amarelo(s):

ML disse...

Realmente Bibendum… a questão essencial da coisa é: “Quem me apetece?” Sem dúvida! Porque “O que me apetece” vou à loja comprar! Nunca tinha pensado desse ponto de vista!

Hmmmmm..... ;)

Joana disse...

São as experiências que a vida nos dá que nos fazem evoluir...