A culpa é da crise.

Serve o presente para dar a conhecer a minha próxima aquisição: "Sarcasmo para Tótós".

Passo a explicar; Hoje foi o dia que superei o meu nível de sarcasmo (habitual).

Hoje mais que ontem a pachorra para perguntas obtusas foi nenhuma, os susceptíveis que me desculpem. Só um exemplo do balão invisível que surge sobre a minha cabeça de cada vez que o tenho que exercitar. Im-pá-cá-vel. A Ally Mcbeal ficaria orgulhosa.

Acabo de levantar da cama e sou logo confrontada com a seguinte pergunta: Já estás a pé? (-Não. Estou sentada e sou sonâmbula, adoro passear enquanto durmo para economizar no ginásio.)

Na cantina, com o tabuleiro da comida na mão. Encontro um conhecido, que me pergunta: O que estás aqui a fazer?
(-Olha, vim ver a migração das andorinhas. A comida é só para enganar.)

Na paragem do autocarro. Encontro outro conhecido e vem a pergunta clássica:Estás á espera do bus?
(-Não, ora essa, estou só a fazer tempo até começar um episódio dos morangos com açúcar e depois vou embora a pé!)

Em frente á porta do prédio com a chave na mão pronta para entrar e chega um vizinho e pergunta: Vais entrar? (-Não, não, estou só á espera que o meu apartamento venha ter comigo.)

E a cereja no topo do bolo vai para: Entro finalmente em casa e não é que levo com mais uma pergunta marabilha: Já chegaste?
(- Não, não, esta não sou eu. É a minha irmã gémea que veio visitar-me.)

Mázinha?! Eu?! Na.
Adenda: Já está superado, depois de duas aspirinas e uma tablete gigante de chocolate, o sarcasmo sossegou, ou talvez tenha sido porque as perguntas marabilha pararam. Fiquei confusa agora :p

7 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Ominona disse...

Bibendum: tens um blog?

(não pode evitar,a mais uma pergunta maravilha!!LOL)

Este Post fez-me lembrar quando Fernando Rocha foi a uma universidade ai do Porto quando estive ai a viver e contou a seguinte anedota (algo assim):

Estava a casa de uma senhora a arder e a mulher com as mãos na cabeça:

Mulher: ai ai ai a minha casa Jacinto! Tou desgraçada homem!

Entretanto chega uma vizinha e pergunta-lhe:

Vizinha: Então mulheri, a tua casa tá a arderi?

Mulher: Não minha P`**ta, tou a assar sardinhas!!!

bj:)

Bibendum disse...

Omi: Três palavras: LOL :p
Pois é, diz que sim. Tenho um blog que tem um "Síndrome de fernandorochismo". My kind of joke. Tás lá Omi :p
Yellow Kiss sem sarcasmo***

vício disse...

mazinha na?

Iris R. Costa Barroso disse...

Um pouco de sarcasmo não faz mal a ninguém... ou pelo menos ainda não morri, ou pelo menos acho que hoje já me perguntaram duas vezes se estava viva, por isso, sim... nunca fez mal a ninguém...

Como te compreendo.

Zicha disse...

ahahaha!!!acontece-m o msm mas eu calo-m ;S looool

Li*Azevedo disse...

F.A.N.T.Á.S.T.I.C.O
=)

Carlinha disse...

Ahahah, o que eu já me ri!

De facto, bem vistas as coisas, somos assaltadas de perguntas marabilha, praticamente a todas as horas!!

Eu própria devo confessar que volta e meia tb sou atacada por uma boa dose de estupidez!

E olha, daqui a alguns minutos sou capaz de perguntar à minha mãe se ela já chegou!

Tenho cá para mim que m vai responder qq coisa do género: "não, ainda tou lá fora, a minha alminha é que passou por aqui para te cumprimentar!"

Bem visto!!
;)