Here comes the bride all dressed in white II




Deixo-vos em primeira-mão uma notícia bombástica. Pois é, vizinhos amarelos, eu também me vou casar! Ai vou, vou!!!
Comigo própria!
Com direito a votos e tudo. Convites todos janotas. E uma festa toda pimpona com todos os meus amigos e fogo-de-artifício. Como é uso, vou distribuir listas de casamento: Vista alegre, agências de viagens, Betrand, Worten, Fnac… E tratem de não esquecer os envelopezinhos recheados. Sim, porque esta minha emancipação merece. Ou não é para isso que este dia serve?! Ai, não é? Opps, as minhas apologias, engano meu!

Ando abespinhada com tanta comoção á volta de um dia. Até parece que este dia é o que vai determinar se uma pessoa vai ser feliz ou não com a outra. Queridas noivas, isto é assim: Este dia é muito mais do que fotografias á beira-rio ao pôr-do-sol, champanhe e bolo de amêndoa. Este dia é no fundo a abertura da porta para as obrigações, os deveres, as contas do gás e da luz. O poder pelo comando da televisão, a loiça por lavar e a roupa para passar a ferro: e tudo a dobrar. Para as noites de futebol e de poker com os amigos dele. Não se esqueçam disso no momento em que trocam alianças! Afinal, é um passo muito importante, e só faz sentido quando realmente existe isso do “Amor”!


Bibendum

1 Vizinho(s) mais amarelo(s):

Cris... disse...

Desculpa passar por cá sem ser convidada...é que me revi neste post.
Tenho amigas da minha faixa etária (os deliciosos 30) que há anos que deram o nó (com o sem papeis, para o caso é o mesmo) e olham para mim como com pena? por eu ainda não me decidir a alinhar numa relação estável? como elas fizeram...
E não é que,lá no fundo do olhinho delas, vejo uma pequenina luz de inveja da minha liberdade?
ah, pois é...